[Update] Avancini: “Schurter tratta di m…a gli altri atleti in gara”

[Update] Avancini: “Schurter tratta di m…a gli altri atleti in gara”

18/03/2019
Whatsapp
18/03/2019

Parole forti quelle di Avancini al termine della prima tappa della Cape Epic 2019. Il Brasiliano ha detto testualmente: “Peccato che non c’è un microfono sulle bici altrimenti la gente capirebbe chi è Nino per davvero. Pensa di essere il boss del gruppo e tratta di merda (lett. “gives shit”) gli altri rider”.

Lo potete sentire nel video sopra al minuto 2:33″15. Parole dettate dalla frustrazione per essere arrivati secondi proprio dietro al team Scott, o c’è del vero? Ricordiamo la diatriba sull’ultima salita dei campionati del mondo Marathon 2018, nata da questo video in cui lo stesso Avancini sembra mettere la bici di traverso per far scendere di sella gli avversari:

Insomma, la gara si infiamma e a questi livelli l’agonismo è alle stelle. La Cape Epic è ancora lunga….

Update: Avancini si è scusato per aver reagito sopra le righe:

View this post on Instagram

Another good stage for me and @manuelfumic . We finished 2nd behind the fast Scott duo. Mostly of the stage was really smooth apart from one racing episode I had with Nino. From my point of view a race is raced only with legs when out there. For him, using words as a “mental game” during the race is part of it. We disagree on this point, which is alright. Most important, we BOTH agree that I over reacted on my first interview and was too aggressive with my choice of words, even if I don’t like the way he behaves at times during the race. Even if I don’t approve few things he does (and he also doesn’t like few things I do), I just passed by to talk to him and his team, clear the situation, apologize to him and crack on with the race. I respect him as The Best Ever of this sport and I hope he respects me as a guy that tries really hard to race at this level. . . . Mais uma boa etapa para mim e Manuel Fumic. Terminamos em 2º atrás do dupla da Scott. A maior parte do dia foi realmente suave, exceto um episódio que tive com Nino. Do meu ponto de vista, uma corrida é disputada apenas com as pernas quando estamos na pista. Para ele, usar palavras como um “jogo mental” durante a corrida é parte disso. Nós discordamos nesse ponto, e nada de errado em ter pontos de vista distintos. Nós dois concordamos que embora, da minha perspectiva eu não goste do que ele faz, em minha primeira entrevista fui agressivo com a escolha de minhas palavras. Mesmo que eu não aprove o comportamento dele (e ele também não gosta de algumas coisas que eu faço), eu apenas passei para falar com ele e sua equipe, acalmar a situação, pedir desculpas pra ele e continuar com a corrida. Eu o respeito como o melhor de todos os tempos deste esporte e espero que ele me respeite como um cara que se esforçou muito para competir em alto nível.

A post shared by Henrique Avancini (@avancinimtb) on

Update 2: